Turma do Matoso, "onde toda a confusão começou"
* Fernando Rosa
Senhor F - E o contato com o pessoal da Jovem Guarda, como foi?
Lafayette - Desde a época do colégio, eu morava na Tijuca, e a Tijuca era o bairro em que vivia todo o pessoal.
Senhor F - A Turma do Matoso …
Lafayette - Justamente, na esquina da Matoso ficava o cinema Madri, em que o pessoal se reunia.


Uma esquina no Rio de Janeiro pode ser considerada o marco zero do rock brasileiro. "Hadock Lobo esquina com Matoso, foi lá que toda a confusão começou", cantou Tim Maia em música com o nome das duas ruas, onde descreve os primeiros passos do rock nacional. Na esquina dessas ruas nasceu a turma, conhecida com a ‘Turma do Matoso’, cujos principais integrantes revolucionaram a música brasileira na década seguinte. Hoje, apenas uma esquina, sem qualquer destaque, o encontro daquelas duas ruas é uma espécie de ‘Memphis’ do rock nacional.

"Em 1957, levado por um colega da mesma escola, Arlênio Lívio, Roberto Carlos passou a freqüentar a turma que se encontrava na Rua do Matoso, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro", conta Okky de Souza, na biografia oficial de Roberto Carlos. "Roberto precisava da letra da música "Hound Dog" e alguém lembrou que um outro componente da turma colecionava tudo sobre Elvis Presley: Erasmo (Carlos) Esteves", também lembra o jornalista, registrando o histórico encontro da dupla responsável pelos maiores sucessos do rock brasileiro dos anos sessenta.

Na esquina, em meio a explosão do rock and roll, Roberto, Tim Maia, Jorge Ben e Erasmo, entre outros, trocavam informações, faziam planos para o futuro. Dali, surgiram, além dos Snakes, os grupos The Sputniks e Os Terríveis, escola para todos eles, naquela segunda metade dos anos cinqüenta. The Sputniks reunia, além de Roberto Carlos, Tim Maia, Arlênio Lívio e Wellington. Os Terríveis era formado por Roberto (guitarra), Carlos Imperial (piano e acordeon), Paulo Silvino (vocais), Edson Moraes (guitarra), Amilcar (guitarra havaiana), Vitor Sérgio (guitarra) e João Maria (bateria).

Por volta de 1959, com a primeira derrocada do rock and roll, os integrantes da Turma do Matoso procuraram outros caminhos para as suas carreiras Tim Maia, então com 17 anos, mudou-se para os Estados Unidos, de onde retornou anos depois, para transformar-se no maior ‘soul man’ e umdos mais importantes compositores brasileiros. Jorge Ben, que tinha o apelido de ‘Babulina’, por conta da música ‘Bop a Lena’, de Ronnie Self, enveredou pelos caminhos do samba. A dupla Roberto & Erasmo Carlos não deixou por menos e inventou a Jovem Guarda, que rivalizou com os Beatles, nos anos sessenta.

* Fernando Rosa é editor de Senhor F.