O cantor equatoriano Julio Jaramillo (1 de outubro de 1935 – 9 de fevereiro de 1978) é um dos maiores intérpretes de bolero da história do gênero. Em sua carreira estão feitos como a gravação de mais de duas mil músicas e também se apresentar em toda a América Latina e outros países do mundo. Com sua voz especial, fez de Nuestro Juramento (de Benito de  Jesús) um dos boleros mais famosos da história.

A gravação da valsa peruana Fatalidad, em 1956, abriu as portas para a carreira do jovem Jaramillo, que o tornou um dos artistas mais importantes do país – leia mais sobre sua história. Seguindo o movimento mundial, em 1959, levou sua música para a televisão e para o cinema – com o filme Mala Mujer ou Wicked Woman. Dois anos antes, já tinha conquistado os corações de seu país, da América Latina e do mundo com Nuestro Juramento. 

Versão original de Nuestro Juramento, com Julio Jaramillo

No Brasil, Nuestro Juramento ganhou versão em português na voz de Altemar Dutra, registro ainda lembrado pelas velhas gerações. Vários de seus discos originais, além de coletâneas, foram lançados no país, principalmente pelos selos SEECO e RGE-Onix (alguns disponíveis no Mercado Livre). Ainda hoje, suas canções mais populares são ouvidas em rádios dos países latinos, repertórios de novos artistas e playlists de DJs.

Na realidade, o bolero nunca saiu do imaginário musical nacional, latino e mundial – inclusive na África. São raros os artistas brasileiros que não gravaram bolero, dos cantores populares aos artistas independentes. Outros artistas latinos também fizeram sucesso no Brasil, especialmente o cubano Bienvenido Granda – “El bigote que canta”. Vale destacar Edna Fagundes, com o disco A Rainha dos Boleros, e o Trio Irakitan com Os Boleros que Gostamos de Cantar (e Outros …).

A versão em português com Altemar Dutra, rematerizada

As novas gerações descobriram o bolero já faz algum tempo, atualizando sua linguagem ou resgatando os maiores sucessos do gênero. Mas o bolero sempre esteve presenta na música brasileiro, com artistas populares e mesmo alternativos ou independentes, como Sérgio Sampaio, Saracura, Criolina e Jack Nilson. Ou, ainda, os argentinos Poli y Prietto, que lançaram Boleros y Canciones, em 2017, e o colombiano Charlie Zaa, que regravou Nuestro Juramento (vídeo abaixo).

Versão moderna do cantor colombiano Charlie Zaa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending